Sob o Signo do Logro: A mulher e o amor na ficção queirosiana

7.00

Neste livro de Miguel Gonçalves lêem-se as várias formas que o Amor assume na obra de Eça de Queiroz, através do engano que a perspectiva masculina projecta nas relações e no modo como se procura compreender a mulher: «valerá a pena considerar as pistas que neste livro nos são dadas e que apontam para mulheres que, se calhar, não passarão de imagens e projecções dos homens que as frequentam, num cenário de solidões definido por relações falhadas em que tanto os homens como as mulheres permaneceram, afinal, sempre os mesmos — ou seja, humanos, valha isso o que valer — ao longo de toda a obra ficcional de Eça de Queiroz.»

Pedir mais informações sobre o produto

Estimado visitante, temos preços especiais para quantidades superiores a 12 garrafas.

Solicite orçamento. Preencha o formulário.

Informação adicional

Autor

Miguel Gonçalves

Editor

Antítese Editores

Encardenação

Capa Mole

ISBN

978-989-99737-1-8

N.º de Páginas

126

Dimensões (C x L x A) 15.2 × 0.8 × 23.1 cm
Peso 200 g
REF: 100337 Categoria:

Descrição

Neste livro de Miguel Gonçalves lêem-se as várias formas que o Amor assume na obra de Eça de Queiroz, através do engano que a perspectiva masculina projecta nas relações e no modo como se procura compreender a mulher: «valerá a pena considerar as pistas que neste livro nos são dadas e que apontam para mulheres que, se calhar, não passarão de imagense projecções dos homens que as frequentam, num cenário de solidões definido por relações falhadas em que tanto os homens como as mulheres permaneceram, afinal, sempre os mesmos — ou seja, humanos, valha isso o que valer — ao longo de toda a obra ficcional de Eça de Queiroz.»

«Mas, e porque já se consumiu tanta tinta para redimir o assunto sem que disso viesse grande mal ao mundo (nem, ao que parece, grande bem), valerá a pena considerar as pistas que neste livro nos são dadas e que apontam para mulheres que, se calhar, não passarão de imagens e projeções dos homens que as frequentam, num cenário de solidões definido por relações falhadas em que tanto os homens como as mulheres permaneceram, afinal, sempre os mesmo – ou seja, humanos, valha isso o que valer – ao longo de toda a obra ficcional de Eça de Queiroz.»

Luiz Fagundes Duarte in Prefácio

Sob o Signo do Logro: A mulher e o amor na ficção queirosiana

7.00